Arquivo da TAG: Comportamento

Como lidar com os nossos medos?

Olá, executérrimas. Tudo bem?

Hoje temos mais um artigo de nossa Parceira Zora Viana, fundadora e CEO da Consultoria Atitude Emocional.

O artigo trata do medo, sensação que tanto nos incomoda.

Ótima leitura!

Beijooooooo.

Fabi Gragnani

—————————————————————————————————————————————–

boxer

Como lidar com os nossos medos?

Para começo de conversa: o que é medo? Como qualquer outra emoção é o resultado da interpretação que damos para o que nosso corpo sente. Isso é o que diz a Teoria de Schachter-Singer.

Mas agora, vamos ao que interessa! Como lidar com nossos medos? Sabe que a primeira atitude que digo para meus clientes é: entenda as REAIS razões do seu medo. Sabe por quê? Sem conhecer a raiz, não há mudança real. Para cuidar e enfrentar o medo, é preciso se perguntar:

  • De onde ele vem?
  • O que realmente incomoda?

Isso porque diante do medo, que é uma emoção básica e super necessária para sobrevivência, é muito comum ter dois comportamentos:

  • FUGIR: você fica com aquela sensação de querer desaparecer
  • PARALISAR: você fica com aquela sensação de choque e estática

Como digo na minha palestra Inteligência Emocional, o ideal é perceber qual comportamento é a mais comum em você e desenvolver a atitude emocional que você precisa para: ENFRENTAR!

É como o medo de tentar um novo estilo de se vestir:

  • O que as pessoas irão achar?
  • Como me sentirei?
  • Será que consigo sustentar um estilo novo que quero ter?
  • Será que terei atitude para usar roupas que acho bonita, mas que não tenho coragem?

Ou como fazer uma mudança na carreira:

  • Será que vou me adaptar?
  • Como viverei financeiramente?
  • Será que nesta mudança serei feliz ou continuarei com minha insatisfação?
  • E como seria se eu fracassasse?
  • Ou se eu tivesse sucesso?

Por isso, pratique:

  • Descubra do que você tem medo;
  • Identifique sua reação mais comum (fuga ou choque);
  • Escolha o motivo para ter coragem;
  • Eleja cinco vantagens para o seu motivo;
  • Aja!

Nossa evolução depende exclusivamente de nós. Por isso, exercite, incentive-se e se quiser saber mais sobre esse assunto e como a inteligência emocional pode mudar sua vida para melhor, é só me procurar.

Vamos agir?

Com respeito,

Zora Viana

Psicóloga, Coach e Palestrante

zoraviana@atitudemocional.com

Como não desistir do que eu começo

Olá, executérrimas!

Hoje temos o primeiro artigo (de muitos) de nossa Parceira Zora Viana,  psicóloga, coach, fundadora e CEO da Consultoria Atitude Emocional, empresa que surgiu a partir das necessidades de fortalecimento e equilíbrio das emoções fundamentais para um desempenho adequado dos papéis sociais, especialmente o papel profissional.

O artigo trata de tema que é o martírio de muitas executivas e executivos – como não desistir de alguma atividade iniciada, seja ela ligada ao profissional, ao lazer ou à vida pessoal.

Tema para pensar… e agir!

Aproveitem!!

Beijooooooo!

Fabi Gragnani

———————————————————————————————

naodesista

Como não desistir do que começo?

Por Zora Viana

Escuto muito no meu consultório: “Zora, eu não sei o que acontece comigo… começo muito empolgada, invisto fortunas quando decido começar algo, compro os melhores equipamentos, alimentos, livros e tudo que for necessário! Mas em poucos dias, estou na estaca zero de novo.” E vamos combinar, que às vezes até no negativo né?

Pois bem, isso significa que há uma defasagem na sua capacidade de ter e agir com força de vontade. Vamos deixar um pouco de lado a parte romântica, e vamos entender cientificamente o que acontece em nossa mente relacionado à essa competência tão necessária em várias áreas da vida.

Nosso cérebro possui uma área que se chama córtex pré-frontal. De forma bem simples e direta a psicóloga e phD Kelly McGonical diz que o córtex pré-frontal é responsável por três principais funções: eu vou, eu não vou, eu quero. Essas três funções e capacidades comportamentais determinam como agimos diante das metas que estabelecemos. A grande questão é que muitas vezes temos uma função mais desenvolvida que a outra.

Faça um teste consigo mesmo, escolha um dia aleatório para observar e analisar seu comportamento referente às suas áreas da vida: relacionamento afetivo, social, situação, alimento, academia, passeio, estudo, trabalho etc. Quantas vezes ao dia você diz:

EU VOU?

EU QUERO?

EU NÃO VOU?

Neste exercício é que conseguimos entender qual a real dificuldade de levar adiante o que começamos. Muitas vezes há uma incoerência entre o EU QUERO X EU VOU / NÃO VOU. Nós queremos muito várias metas, mas na verdade isso não se transforma em objetivo, fica apenas no campo da imaginação e do sonho, o que nos impede de simplesmente TER ATITUDE.

Estou aqui para dizer que isso tem solução, você é capaz de fazer, ter atitude e conseguir fazer uma conexão clara e saudável entre essas três funções. Para iniciar o exercício da força de vontade, pratique #atitudemocional:

Pense e reflita sobre sua meta.

Ela precisa começar no positivo e com verbos no imperativo. Por exemplo:

Fazer, Começar, Concluir, Finalizar etc.

Determine o que você: VAI, NÃO VAI E QUER FAZER em prol da sua meta.

Isso é fundamental para você descrever os limites e regras próprias para alcançar seus objetivos.

Observe-se praticando cada comportamento estabelecido por você mesmo.

Isso te ajudará a notar quais suas reais dificuldades e o que falta para exercitar sua força de vontade para mudar seus comportamentos.

Se precisar de ajuda nesse processo, lembre-se que isso não te torna fraco ou pior que outros, na verdade isso te torna consciente das suas limitações e nós, da Atitude Emocional, através do Coaching de Excelência, teremos o maior prazer de te ajudar a desenvolver a Força de Vontade e outras competências como planejamento, disciplina, organização, motivação, feedback e assim por diante. Existem técnicas e estratégias que podem te auxiliar e você pode começar a desenvolvê-la se percebendo e procurando ajuda profissional conosco. Desejo uma ótima semana, cheia de força de vontade.

#vamosagir

Zora Viana

zoraviana@atitudemocional.com

 

Não se reprima, mas também não se arrependa

NÃO SE REPRIMA, MAS TAMBÉM NÃO SE ARREPENDA

O comportamento nas festas empresariais requer o mesmo cuidado de quando se está no escritório. Estreitar relacionamentos faz parte do bom networking

Falando ainda sobre eventos de fim de ano, o tema agora é: comportamento nas festas da empresa. Tão importante quanto o look que preparamos para a confraternização, são nossas atitudes no evento, afinal de nada adianta arrasar no salto alto, e cometer gafes que manchem nossa imagem.

Para falar sobre esse tema, convidamos a Consultora de Carreira Renata Magalhães.

A primeira dica da Renata é simples: compareça à festa. A razão destes eventos é propiciar um ambiente que promova integração entre a equipe e, também, motivar os profissionais para um próspero novo ano.

Preocupe-se com horários.  Assim como no dia-a-dia, atrasos não são bem vistos; por isso, evite chegar muito depois do horário marcado. Fique atento também ao momento de se despedir, não seja o primeiro nem o último a sair da festa. Geralmente, as empresas estabelecem um horário de início e de final da festa; assim, o ideal é manter o intervalo máximo de 30 minutos, ou seja, chegar no máximo meia hora depois de iniciada a festa e não ir embora mais de meia hora antes do seu encerramento.

Aproveite a festa, afinal ela foi criada e planejada para um momento de confraternização e é isso que devemos ter me mente. As pessoas não estarão (tão) preocupadas com prazos, compromissos e responsabilidades; então, este é o momento de estreitar laços com os colegas, com a equipe e até mesmo com os diretores. Networking é um dos maiores benefícios das confraternizações, não desperdice! Porém, tenha bom senso; se perceber que não tem espaço pra isso, não force a barra. Deixar de fazer contato ainda é melhor que a impressão ruim que um contato forçado pode deixar. E lembre-se: contatos com pessoas de outras áreas, subordinados e colaboradores técnicos também são positivos.

Evite falar sobre os problemas da empresa. O ideal é manter uma conversa mais informal, sobre assuntos gerais e descontraídos. Atenção para não reclamar, fofocar ou falar mal, seja da festa, da empresa, dos colegas, ou do chefe. Cuidado também para não expor demais sua vida pessoal.

Por mais que a festa propicie um clima de paquera, cuidado com as regras da empresa no que diz respeito a relacionamentos. Seja discreto e mantenha o bom senso.

Apenas para lembrar, cuidado para não dar vexame. Afinal, ser lembrado no dia seguinte por conta de um comportamento ruim é péssimo em qualquer situação, pior ainda quando envolve sua carreira. Cuidado para não beber demais. Cuidado com o palavreado. Lembre-se das regras básicas de etiqueta à mesa e divirta-se com cautela, sem esquecer que este não é momento de dançar como se não houvesse amanhã.

Além de todas as recomendações, lembre-se que o mais importante é participar; afinal, o mundo só se constrói com a relações entre as pessoas.

Renata Magalhães dedica-se à Orientação Profissional e de Carreira, auxiliando jovens a gerir as primeiras etapas de sua vida profissional. Orienta a decisão sobre a carreira a seguir, a participação em processos seletivos e coaching para o mercado de trabalho.

Renata

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...