Arquivos mensais: setembro 2013

Marcada no mercado. Será?


machine

A tatuagem ainda é tema delicado no mercado de trabalho

Com novas carreiras cada vez menos burocráticas e mais criativas, o mercado de trabalho está mais flexível. Apesar disso, ainda lidamos com todos os tipos de pessoas, que vieram de famílias diferentes e também tiveram educações diferentes, das extremamente tradicionais às modernas.

Muitos profissionais ainda acreditam que um funcionário tatuado passa impressão negativa ou descrédito. Portanto, é preciso ter cuidado com a exposição até mesmo em empresas informais. A companhia pode ter esse perfil mais descontraído, contudo, seu gestor (ou até mesmo seu cliente) pode ser conservador. Imagine o caso de uma publicitária moderna, acostumada a atender o segmento de moda, ao ter que cobrir as férias de uma amiga responsável pela conta de uma empresa “quadradona”; ou o caso de uma executiva da área comercial quando o grupo em que trabalha é adquirido por outro (gigante do mercado) que tenha normas estabelecidas por uma direção bem tradicional. Qual a saída, pedir demissão? Imagine! Mas alguns cuidados são necessários.

Regrinhas básicas apontadas por profissionais de RH. Tome nota!

  • É fundamental observar o ambiente da empresa onde você trabalha e o perfil de seus gestores antes de expor suas tatuagens.
  • Se a tatuagem não tem relação com suas atividades ou com o segmento em que você atua, tente não deixá-las em evidência. Afinal, o que precisa ser destacado é o seu trabalho.
  • Mesmo que a empresa não seja tão conservadora, use o bom senso e pense bem antes de expor sua tatuagem, principalmente quando existe contato com cliente.

As tatuagens podem ser pequenas, grandes, duas, inúmeras, apenas contornos ou cheias de detalhes e, claro, lindas, pois marcam um momento ou uma escolha importante pra você. Mas pense que beleza é algo subjetivo. Evidente que sua opinião e o direito de fazer o que quiser com seu estilo valem mais do que qualquer coisa. No entanto, quando isso envolve carreira, pensar no mercado e na companhia em que trabalha e considerar certa adaptação é fundamental, caso contrário, talvez seu negócio seja outra área ou atividade.

E agora, como é que eu faço?


etiqueta

A importância da etiqueta corporativa na vida das executérrimas

Firmeza ao cumprimentar, roupas, postura, tom de voz, tudo em nós é avaliado e precisa estar dentro do contexto da empresa onde trabalhamos e da posição que ocupamos. “A mulher de hoje é uma verdadeira heroína atenta à beleza, pontualidade, competência e a seus diversos papéis: mãe, dona de casa, esposa, executiva, tudo na mesma hora”, comenta Cida Lopes, especialista em hotelaria, eventos e hospitalidade, docente na Faculdade de Tecnologia Hotec.

Uma das funções de Cida é facilitar a vida dessas executérrimas heroínas com aulas particulares, cursos e treinamentos de etiqueta profissional e social, protocolo e cerimonial. “As pessoas têm necessidade de saber como se comportar, o que é adequado ou não. Muitas vezes, você vai a jantares, a um evento noturno ou participa de um almoço de negócios e sente a necessidade de aprimorar seus conhecimentos e incorporar novos hábitos mais refinados”, diz a especialista. Nesta entrevista ao Executiva Sem Terninho, Cida Lopes explica a importância do comportamento adequado no ambiente profissional. Confira!

S/T – Qual o perfil das executivas que procuram pelas aulas de etiqueta?

Cida Lopes – É comum que executivas procurem aulas particulares por conta da ascensão profissional, quando elas passam a receber muito mais clientes, líderes, equipe de colaboradores e a etiqueta será ainda mais observada e exigida. As aulas são importantes para lapidar, aprofundar conhecimento e direcionar à melhor postura e atitude.

S/T – Até mesmo as apresentações seguem uma hierarquia no meio corporativo, certo?

Cida Lopes – Exatamente. O organograma deve ser observado, pois existe uma hierarquia (chamada protocolo) a ser respeitada. Sempre o subordinado é apresentado a quem tem uma posição mais elevada e cabe à pessoa de maior notoriedade o primeiro passo, a iniciativa de estender a mão.

S/T – Ainda sobre respeitar a hierarquia, na etiqueta corporativa, existe regra diferente para empresas mais formais e menos formais?

Cida Lopes – Por mais informal que seja a empresa, acredite, existe uma formalidade. Há regras que cabem em qualquer lugar. Quando você participa de uma entrevista ou vai a uma reunião deve ir vestida de forma adequada. Quando for sentar, aguarde receber a orientação; se for cumprimentar, aguarde quem recebe estender a mão; antes de entrar na sala de um diretor, verifique com a secretária se ele está disponível, se há necessidade de ser anunciada ou não. Também é importante saber trabalhar em equipe, saber lidar com chefes e empregados, facilitar a vida das outras pessoas ser gentil. Afinal, nós ficamos mais tempo no trabalho do que em casa, é preciso gerar um bom ambiente de trabalho.

S/T – E quanto ao uso de redes sociais no trabalho?

Cida Lopes – Deve-se usar empatia para perceber que seu direito termina quando o do outro começa. Se você tivesse uma empresa e pagasse para um funcionário levar essa companhia pra frente, será que veria com bons olhos essa pessoa o dia todo conectada ao Facebook ou mandando mensagens pelo celular? Se você foi requisitada, se é paga para exercer determinada função, tenha o comprometimento de exercer isso da melhor maneira, sem distrações.

S/T – A vida da executiva já é tão atribulada que os atrasos acabam por acontecer. Trânsito, pneu furado, o que fazer nesses casos?

Cida Lopes – Levante um pouco antes para evitar que esse tipo de situação atrapalhe sua agenda de compromissos. Se houve algum acontecimento inevitável, tenha o comprometimento de ligar para quem está esperando por você, pois isso denota uma consideração com o outro. E que isso seja verdade, caso contrário, se hoje falar da greve, amanhã do pneu furado, você passa a não ter credibilidade e vira um colaborador facilmente substituível.

S/T – A roupa ainda é um problema para algumas executérrimas. Qual a sua dica para evitar erros?

Cida Lopes – Ao escolher uma roupa pela manhã, você deve se olhar no espelho e perguntar: com a roupa que estou vestindo, daria para eu ir a qualquer reunião ou evento? Se a resposta for sim, você está adequado. Muitas vezes, nós fazemos um itinerário que muda durante o dia. Você imagina que ficará no escritório e um cliente importante decide marcar uma reunião ou encontra com você casualmente no almoço. Dessa forma, opte por cores neutras, lembrando que o preto emagrece e o claro engorda. O equilíbrio entre tons claros e escuros é muito importante, pois o escuro dá uma sensação imperativa e o claro, normalmente, passa uma ideia de despojamento. No escritório, use sempre sapatos fechados não muito altos, um modelo scarpin de meio salto ou salto médio vai ser adequado em qualquer situação. Os acessórios são importantes na composição e podem levar a cor que sua produção precisa, mas devem estar de acordo com sua personalidade e com o ambiente onde trabalha.

S/T – Como orientar um funcionário sem ser indelicada?

Cida Lopes – Se você é líder ou colega de trabalho de alguém que não tem uma postura adequada (pela falta de conhecimento e não pelo perfil displicente), chame essa pessoa separadamente e converse de maneira respeitosa, mostrando como ela poderia ser uma profissional melhor. Tente ajudar com gentileza, educação e respeito, pense que você poderia estar no lugar dela. Lembre-se sempre que etiqueta sempre vai levar ao sucesso, é um conhecimento que nunca será perdido e deve ser passado pra frente.

Cida Lopes, especialista em hotelaria, eventos e hospitalidade

Cida Lopes, especialista em hotelaria, eventos e hospitalidade

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...